Projeto Museus Virtuais tem nova temporada no CIC

Atualizado em: 31/07/2017 03:29:02 por Gil
Tipo EventoMuseu
Data29/07/2017
Local Cinema do CIC
Hora

Um dos projetos de inclusão cultural mais prestigiado nos últimos anos, o Museus Virtuais, volta para mais uma temporada no cinema do CIC e na UDESC, a partir do próximo dia 29 de julho, totalizando 22 sessões gratuitas até o final do ano.

O “Museus Virtuais” consiste em uma visita virtual por museus e galerias de todo o mundo, conduzida por um arte-educador, que aborda um tema específico da história da arte, como Renascença, Arte Clássica ou Arte Brasileira, entre outros. Para esta temporada, 14 instituições de sete países serão visitadas virtualmente, como Nova Iorque, Paris, Londres, São Paulo, Roma, Amsterdã, Moscou, permitindo conhecer obras de renomados artistas que escreveram seus nomes na história e deixaram um legado para a cultura mundial. As visitas virtuais são realizadas com utilização da plataforma Google Art Project e conduzidas pelo arte-educador Claudio Toscan.

A nova temporada do Museus Virtuais estreia no dia 29 de julho no Cinema do CIC com uma sessão especial: “Itália – O berço do Renascimento”. Para participar é necessário realizar agendamento prévio pelo site www.institutomaratonacultural.com . No site também é possível conferir a agenda completa de sessões abertas ao público e um descritivo detalhado sobre cada um dos temas abordados.
O projeto é uma realização do Instituto Maratona Cultural, com patrocínio da Prefeitura Municipal de Florianópolis, Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Franklin Cascaes, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e apoio cultural da Peixe Urbano.

CR2 Fotografia

*Serviço*
*Museus Virtuais*
Programação: entre Julho e Novembro de 2017
Locais: Cinema do CIC – Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5.600, Agronômica /
Plenário da Udesc – Av. Madre Benvenuta, 2007, Santa Mônica
Ingressos: Gratuito
Agendamento e informações: ​​ www.institutomaratonacultural.com e musuesvirtuais@gmail.com

*Agenda*
*Cinema do CIC:*
29 de Julho às 18h – Itália – O berço do Renascimento
07 de Agosto às 20h – Holanda – Arte na terra dos moinhos
12 de Agosto às 16h30 – França – O Berço das Artes
21 de Agosto às 20h – Brasil – Na ponte aérea
26 de Agosto às 16h30 – Rússia – um suspiro na arte europeia
04 de Setembro às 20h – EUA – A arte moderna nos museus americanos
16 de Setembro as 18h – Inglaterra – Arte na terra da Rainha
18 de Setembro às 20h – Itália – O berço do Renascimento
25 de Setembro às 20h – Holanda – Arte na terra dos moinhos
02 de Outubro às 20h – França – O Berço das Artes
09 de Outubro às 20h – Rússia – um suspiro na arte europeia
21 de Outubro às 18h – Brasil – Na ponte aérea
23 de Outubro às 20h – Itália – O berço do Renascimento
28 de Outubro as 18h – Holanda – Arte na terra dos moinhos
04 de Novembro às 18h – EUA – A arte moderna nos museus americanos
13 de Novembro às 20h – Inglaterra – Arte na terra da Rainha
20 de Novembro às 20h – França – O Berço das Arte
*Plenário da UDESC: *
23 de Agosto às 10h – EUA – A arte moderna nos museus americanos
25 de Agosto às 15h – Rússia – um suspiro na arte europeia

*Sobre os temas*
*França – O Berço das Artes*
O museu mais visitado do mundo, Museu do Louvre, em Paris, apresenta as coleções de arte francesa, espanhola, grega, italiana e, claro, sua mais requisitada obra: a “Monalisa” de Leonardo da Vinci. O tour pela França segue para o Museu D’Orsay, a casa dos impressionistas.
Fazendo uso do título de Ernest Hemingway “Paris é uma festa”, esta segunda parte do roteiro apresenta uma festa de cores, tons e formas que revolucionaram a arte e a cultura no século XIX e XX, vistos pelas pinceladas de Monet, Manet, Renoir, Degas, Cezanne, Van Gogh.
*Holanda – Arte na terra dos moinhos*
Na pátria de grandes gênios da arte, o Museu Rijksmuseum, em Amsterdã, apresenta o século de ouro da pintura holandesa nas obras dos mestres barrocos Rembrandt, Vermeer, Frans Hals, Jan Steen e seus contemporâneos. A visita segue até o museu Van Gogh para visitar a trajetória – dos primeiros anos de pintura às famosas telas – deste que se tornou um dos artistas mais venerados do mundo. O Museu conta com a maior coleção de obras do pintor, nas quais acompanharemos a incessante expressividade pela cor em busca da maturação artística.

*Inglaterra – Arte na terra da Rainha*
O British Museum será o endereço visitado na capital inglesa, abrindo a oportunidade de se conhecer a arte de diversas culturas do mundo antigo como as esculturas, relevos, pinturas e objetos decorativos do Egito, Grécia, Roma, Assíria e povos da África, América central e Ásia. Já na National Gallery serão visitados mais de quatro séculos de história da pintura europeia: do final da Idade Média ao Impressionismo, com nomes como Tintoretto, Velazquez, Caravaggio, Monet, Cezanne.
*Brasil – Na ponte aérea*
O Museu de Arte de São Paulo (MASP) possui uma vasta coleção de arte internacional e brasileira com obras de Renoir, Gauguim, Modigliani, Toulouse-Lautrec, Picasso, Anita Malfati, Almeida Junior. O acervo permanente está exposto em seus icônicos cavaletes de cristal, desenhados por Lina Bo Bardi em 1968, conferindo charme e leveza à mostra. O roteiro segue para o Rio de Janeiro, para o Museu de Belas Artes, onde estão as duas maiores pinturas sobre suportes móveis feitos por artistas brasileiros: a “Batalha do Avaí” de Pedro Américo e “Batalha dos Guararapes” de Victor Meirelles.
*EUA – A arte moderna nos museus americanos*
Durante a Belle Èpoque muitos colecionadores americanos visitaram Paris e investiram na arte de artistas que residiam no principal centro artístico europeu. Como resultado formaram valiosas coleções particulares e participaram da construção de diversas coleções estatais pelo País.
A visita passará por uma parte da coleção do Metropolitan de Nova Iorque e do Instituto de Artes de Chicago, onde se encontram obras de diversos períodos da arte como o barroco de Vermeer, o neoclassicismo de David, o realismo de Sargent e Courbet, o impressionismo de Monet, o pós-impressionismo de Van Gogh, Seurat, Lautrec e o modernismo de Hopper e Georgia O’Keeffe.
*Itália – O berço do Renascimento*
A visita inclui a Galeria degli Uffizi, em Florença, que conserva o tempo de glórias na história da humanidade: A Renascença, com obras de Giotto, Botticelli, Rafael, Leonardo da Vinci, Michelangelo, dentre outros. Já em Roma, na Galeria de Arte Moderna, será possível conhecer os trabalhos de expoentes vanguardistas como Giacomo Balla e Gino Severini, de Klimt e a Secessão de Viena, na pintura metafísica de Giorgio de Chirico e no abstracionismo de Kandinsky, Miró e Mondrian.
*Rússia – um suspiro na arte europeia*
Os encantos do antigo palácio Hermitage, cujo esplendor é a máxima expressão de beleza arquitetônica russa do século XIX, abriga uma rica coleção de arte que integra pintura, escultura, arquitetura e decoração numa mesma linguagem estilística. O museu estatal possui a maior coleção de arte do mundo, com mais de 3 milhões de objetos de diferentes culturas. O Museu de Belas Artes Pushkin, em Moscou, conta com uma vasta coleção de arte italiana renascentista, com obras de Botticelli, Bronzino, Crivelli e do barroco flamengo de Rubens e Brueghel.

 

Publicidade